• You are here:
  • Home »
  • Author's Archive:

All posts by crismarques

A subcisão como um método garantido no combate a celulite

A celulite é uma alteração da pele mais frequentemente encontrada nas nádegas e nas coxas. Neste artigo você vai ficar por dentro das principais opções de tratamento da celulite, destacando a subcisão como uma opção terapêutica ideal para essa condição esteticamente angustiante.

Leia e fique por dentro!

Celulite é um termo descritivo usado para caracterizar a alterações da pele.

Descrito pela primeira vez no início do século 20, tem sido referido por vários sinônimos, incluindo lipodistrofia ginóide, lipoesclerose nodular, paniculose, adipose edematosa dentre outras nomenclaturas.

Muitas modalidades, incluindo a subcisão, foram consideradas para tratar a celulite. Este artigo tem como objetivo revisar os antecedentes, a potencial fisiopatologia e as possíveis opções de tratamento da celulite, destacando a subcisão como uma modalidade terapêutica ideal para essa condição.

Apesar de sua alta prevalência (80% a 90%) em pacientes de todas as raças, poucos dados epidemiológicos sobre sua exata prevalência, incidência e fatores associados foram publicados.  A celulite pode piorar durante estados elevados de estrogênio, incluindo gravidez, amamentação e uso crônico de contraceptivos orais.

Embora dieta, exercício e estilo de vida, no entanto, não pareçam estar associados ao seu desenvolvimento, o ganho de peso e a obesidade podem piorar a aparência da celulite existente.

 A celulite em pacientes do sexo masculino é uma condição rara e só aparece em caso de obesidade, deficiência de andrógenos, deficiência de testosterona (hipogonadismo), síndrome de Klinefelter ou terapia com estrogênio para câncer de próstata.


Características clínicas 

A celulite pode afetar qualquer área com tecido adiposo subcutâneo. Embora seja mais frequentemente observado nas coxas externas, posteriores e nádegas, nos quadris, abdome em volta do umbigo, mamas, braços posteriores e pescoço posterior podem ser afetados.

A celulite deve sempre ser avaliada com pinçamentos em forma de beliscões nas áreas afetadas, usando o polegar e o indicador.

É importante pedir para que a paciente contraia o grupo muscular em um ambiente iluminado podem ajudar a acentuar e visualizar as irregularidades do contorno nas áreas afetadas.

A classificação clínica para celulite foi dividida em três graus.

O grau 1, a pele é lisa em repouso, no grau 2 a pele demonstra uma aparência de colchão ou casca de laranja em repouso e no grau III possui características e nódulos de grau II misturados com áreas elevadas e deprimidas em repouso.

Os autores Rossi e Vergnanini, classificaram a celulite com base na presença e gravidade dos achados clínicos e histopatológicos, do grau I ao IV.

 A celulite de grau I é clinicamente inadequada, mas pode ter alterações histológicas positivas precoces. A celulite de grau II é clinicamente inadequada em repouso, mas covinhas ou depressões tornam-se evidentes com beliscões na pele ou contração muscular. As celulites de grau III e IV são clinicamente aparentes em repouso, com as últimas apresentando uma gravidade da doença significativamente maior.

O primeiro método padronizado e objetivo de classificação da celulite, a escala de severidade da celulite (CSS), foi desenvolvido por Hexsel.

O método é validado e baseado em 5 aspectos morfológicos importantes da celulite, incluindo:

1) número de depressões;

2) profundidade das depressões;

3) morfologia clínica;

 4) extensão da flacidez, flacidez ou flacidez da pele;

Várias medidas baseadas em instrumentos para avaliar a celulite foram utilizadas em estudos clínicos, incluindo modalidades de imagem (por exemplo, ultra-som e ressonância magnética), propriedades biomecânicas (por exemplo, elasticidade) e vascularização (por exemplo, fluxometria com doppler a laser e termografia).

Sua relevância clínica permanece discutível. Embora a classificação numérica da celulite e o IMC tenham sido positivamente relacionados com a gravidade do grau da celulite.

Opções de tratamento

Várias terapias foram projetadas, comercializadas e destinadas a melhorar a celulite, incluindo terapia tópica, injetáveis, drenagem linfática, endermologia, terapia por ondas acústicas, terapia de luz, lasers externos não invasivos e radiofrequência.

A eficácia desses tratamentos estéticos promove um potencial de melhora, mas a paciente precisa sempre repetir o tratamento a fim de realizar manutenções periódicas.  

 Embora mais invasiva, a subcisão pode levar a uma melhora significativa na celulite após apenas um tratamento com pouco tempo de inatividade para a recuperação.


Terapia tópica

Inúmeros ingredientes cosmecêuticos tópicos, incluindo metilxantinas (por exemplo, cafeína), hiperemiantes e extratos botânicos, foram relatados para melhorar a aparência da celulite.  A estimulação da microcirculação cutânea, a promoção da lipólise e o aumento da colagenogênese dérmica em resposta a esses tópicos podem desempenhar um papel importante.

Terapia descongestiva física

A pressão positiva e negativa combinada da massagem mecânica a vácuo ou da drenagem linfática pode promover a microcirculação venosa e a drenagem linfática, o que ajuda a redistribuir o fluido extracelular. Os resultados com esses tratamentos demorados e dependendo da técnica são eficazes, mas, como na terapia tópica, são transitórios e precisam de aplicações contínuas.

Terapia por ondas acústicas

A terapia de ativação por pulso ou onda de choque utilizando aparelhos pode melhorar a microcirculação cutânea, produção de colágeno e drenagem linfática. Vários estudos demonstraram melhora na aparência ou no grau da celulite após 6 a 8 sessões.

Dispositivos de rádio frequência

Os dispositivos de rádio frequência geram calor aumentando a temperatura local desencadeando uma sequência de reações fisiológicas.

 A produção de energia eletrotérmica com esta modalidade é monopolar (eletrodo único com eletrodo de retorno), unipolar (eletrodo único sem retorno), bipolar (2 eletrodos) ou multipolar (3 ou mais eletrodos). Essa técnica é frequentemente associada a massagens para potencializar os seus efeitos.

Subcisão

A subcisão é uma técnica cirúrgica descrita pela primeira vez em 1995 que libera a derme reticular da amarração pelas bandas septais fibrosas subjacentes no tecido adiposo subcutâneo, resultando numa pele mais lisa e suave.

A melhora clínica observada após os cortes para a liberação fibrosa provavelmente também se deve em parte à redistribuição das forças de tensão subcutâneas e a realocação dos lóbulos gordurosos nos espaços criados pelo procedimento. A subcisão é recomendada apenas para as depressões da celulite presentes em repouso, ou seja, para os graus mais avançados, não para as depressões visíveis apenas com a contração muscular. As depressões são marcadas com lápis imediatamente antes do procedimento, com o paciente em uma posição relaxada.

Como é feito o procedimento

A infiltração percutânea direta de lidocaína diluída (0,1%) e bicarbonato de sódio (8,4%) com adrenalina em soro fisiológico produz anestesia local completa e hemostasia dos tecidos cutâneos e subcutâneos, tornando-o um procedimento ambulatorial sem a necessidade de anestesia sistêmica.

O fluido infiltrado também eleva hidraulicamente o tecido subcutâneo das estruturas vitais subjacentes, aumentando ainda mais a segurança do procedimento. A infiltração do fluido começa na camada subcutânea mais profunda, o que leva à anestesia parcial colateral de camadas sobrepostas de gordura, permitindo uma infiltração superficial mais tolerável. Aguardar por no mínimo 15 minutos após a infiltração garante anestesia e hemostasia máximas.

O uso de antibióticos preventivos não é necessário, mas podem ser considerados em pacientes de maior risco.

Após o procedimento da Subcisão é necessário evitar atividades físicas por 1 a 2 semanas e o uso de roupas apertadas por 2 a 4 semanas.

Uma cânula bifurcada ou uma agulha de 18 G é inserida de 10 a 20 mm na camada subcutânea do tecido adiposo, paralela à superfície da pele. Ao usar uma agulha não-cortante, a lâmina de corte é posicionada contra uma faixa fibrosa e a pressão é mantida quando a agulha é retirada, levando a movimentos de corte repetitivos até que um plano de dissecção seja criado.

A profundidade da subcisão é vital, uma vez que a subcisão realizada superficialmente demais pode resultar em elevação excessiva ou necrose da pele, enquanto a subcisão realizada profunda demais pode produzir uma melhoria insignificante nas depressões visadas. Não é de surpreender que a subcisão manual dependa da habilidade e técnica do profissional de medicina.

Um método de compressão é aplicado por 5 a 10 minutos para controlar o sangramento de vasos rompidos e prevenir hematomas, ao mesmo tempo em que permite contusões organizadas que podem melhorar a formação de colágeno e tecido conjuntivo.

Estudo realizado com 232 indivíduos com celulite avançada das nádegas e coxas demonstraram satisfação de 78,87% após um único tratamento.

Vinte e três indivíduos dessa amostragem (9,91%) foram acompanhados por 2 anos e constataram resultados persistentes.

Pós cirúrgico

Os eventos adversos pós-tratamento incluíram hematomas dolorosos por até 4 meses em 90% dos indivíduos e pigmentação por hemossiderina (ferro no sangue) por até 10 meses em todos os indivíduos, todos os casos foram resolvidos naturalmente, sem tratamento adicional.

Subcisão realizada por laser

A interrupção direcionada dos septos fibrosos subcutâneos também pode ser realizada com a entrega subdérmica percutânea de energia a laser.

Embora os comprimentos de onda do laser de 1064 nanômetros e 1320 nanômetros possam ser utilizados de forma eficaz para esse fim, um dispositivo de 1440 nm com uma ponta de fibra de laser de disparo lateral de 1000 m demonstrou ser seguro e eficaz para o tratamento da celulite em vários estudos clínicos.

Conclusão

A celulite afeta a maioria das pacientes do sexo feminino. Embora existam várias opções de tratamento a subcisão é uma terapia estabelecida que pode levar a uma melhora significativa na aparência clínica da celulite com um baixo risco de eventos adversos.

O aumento da compreensão da fisiopatologia complicada da celulite provavelmente melhorará as opções atuais de tratamento e levará ao desenvolvimento de terapias mais direcionadas em um futuro próximo.

Gostou do artigo?

Espero que tenha sido bastante esclarecedor.

Deixe a sua opinião ao final e visite o meu site para se tornar especialista em estética. Escolha qual curso se encaixa melhor pra você.

Conheça todos os meus cursos

Espero que tenha gostado desse artigo, para se especializar ainda mais em tratamentos estéticos, conheça todos os cursos que eu ofereço. Eu já consegui ajudar mais de 9.000 alunas e alunos.

Como funciona o processo de regeneração da pele

A pele possui vários mecanismos de regeneração e reparo. Eles são empregados para eliminar qualquer dano causado por influências externas e restaurar a função perdida. Entenda melhor neste artigo como tudo isso funciona.

Se você trabalha ou pretende trabalhar na estética, saiba que esse assunto é fundamental.

Boa leitura!

Sabe-se que a camada ou capa córnea é a mais superficial da pele. A ação de substâncias irritantes mecânicas, físicas ou químicas externas faz com que a camada córnea engrosse.

Exemplos típicos são o espessamento encontrado após intensa exposição ao sol e a formação de calosidades em áreas sujeitas a estresse mecânico (palmas das mãos e solas dos pés).

O engrossamento acontece como uma defesa da pele.

A regeneração após danos relacionados aos raios UVA e a exposição intensa aos raios UV causa danos primários ao material genético.

Danos secundários ocorrem às proteínas e membranas celulares pelos radicais livres que foram induzidos por raios UV.

Sabe-se que a pele possui muitos mecanismos para a reparação do DNA danificado. Nos seres humanos, os mais importantes são os mecanismos de reparo por excisão e pós-replicação: O mecanismo de reparo por excisão é baseado no reconhecimento, remoção e substituição do segmento de DNA danificado.

Desta forma, as mutações são evitadas desde que o mecanismo de reparo não esteja sobrecarregado ou com defeito.

O mecanismo de reparo pós-replicação das células, por outro lado, trabalha em torno do segmento de DNA danificado, o que significa que é ignorado quando o código genético é lido.

Só mais tarde o dano é reparado. Esse mecanismo é tão defeituoso, no entanto, que muitas vezes mais mutações são causadas pelo reparo do que pelos danos causados pela radiação original.

Regeneração após lesão cutânea ablativa:

Uma das camadas da epiderme, a camada basal garante uma renovação constante da epiderme, através da divisão celular contínua (proliferação).

Se uma lesão estiver confinada à camada superior da pele, esse dano, conhecido como erosão, pode curar sem cicatrizes. No entanto, pode ter uma hiperpigmentação como consequência.

A derme cicatriza

Se o dano atinge a derme (por exemplo, uma úlcera ou um corte profundo) e envolve a membrana basal (junção epidérmica dérmica), a cicatrização geralmente é acompanhada pela formação de cicatrizes.

Quando isso acontece, as células epidérmicas destruídas são substituídas por tecido conjuntivo.

A resposta inflamatória pode durar de 1 a 5 dias,

Nos danos iniciais, os mastócitos (células do tecido conjuntivo) liberam histamina (aminoácido) no tecido, o que desencadeia a resposta inflamatória, os capilares e arteríolas locais se dilatam para melhorar a circulação sanguínea na área e oxigenação.

As paredes capilares se abrem levemente para permitir a passagem do fluido Exsudato inflamatório para o tecido.

O fluído chamado de exsudato contém anticorpos para neutralizar qualquer material estranho e precursores de fibrina que são depositados em uma malha para impedir a propagação de qualquer material estranho. O fluido exsudato também contém leucócitos, que se movem através das paredes capilares para remover qualquer material estranho e tecido morto pela fagocitose.

Como se forma a crosta ou casca na pele 

Se o sangramento ocorreu, a hemóstase (efeito de estancar uma hemorragia) ocorre logo após a lesão.

As plaquetas na área da ferida acumulam um tampão sobre os danos e liberam serotonina.

A serotonina causa a contração dos vasos sanguíneos e reduz o fluxo sanguíneo. Se isso for insuficiente para interromper o sangramento, uma série de mensageiros químicos inicia o mecanismo de Coagulação.

Essa ação de coagulação resulta em grandes quantidades de fibrina sendo estabelecidas na área para unir tudo, como cola.

Portanto, uma crosta contém glóbulos secos, líquido inflamatório seco (e seus glóbulos brancos), plaquetas e qualquer matéria estranha que não seja lavada pelo fluxo de sangue e exsudato.

Após a corrida inicial da resposta inflamatória. É o período em que os leucócitos e os macrófagos que chegam mais tarde removem o tecido morto e o material estranho, e a rede de fibrina (coágulo sanguíneo) depositada nos tecidos é dissolvida.

Macrófago

O poderoso macrófago age como um ator principal, esses glóbulos brancos têm funções de fagocitose (limpeza). Sem macrófagos não há cura.

Os macrófagos liberam enzimas destruidoras de tecidos para livrar a ferida de detritos, deixando espaço para as células saudáveis ​​preencherem o vazio.

O macrófago é primordial para o estágio inflamatório da cicatrização de feridas e também essencial para o desenvolvimento de novos tecidos através de fatores de crescimento derivados de macrófagos (MDGF).

Os macrófagos levarão de três a cinco dias para estimular a diferenciação dos fibroblastos. Essa próxima fase da cicatrização é chamada de estágio proliferativo.

A fase proliferativa geralmente é estabelecida dentro de 5 dias após o ferimento e dura até 4 semanas.

O fibroblasto

Os fibroblastos que normalmente são encontrados em baixo número na derme, proliferam na ferida e migram com a ajuda dos fatores de crescimento (MDGF) e uma glicoproteína muito importante chamada fibronectina.

A fibronectina atua como um canal para fibroblastos. Liga-se à matriz da ferida e ao fibroblasto, permitindo que o fibroblasto faça a colagenogênese (formação de colágeno).

Uma vez na ferida, os fibroblastos começam a sintetizar fibras de colágeno (tipo 3) e produzem proteoglicanos, (proteínas estruturais e proteínas adesivas) que são substâncias básicas do tecido conjuntivo. Outras proteínas fibrosas na ferida incluem elastina e reticulina.

Vitamina C, ferro e cobre são essenciais para a síntese de colágeno, que constitui 50% da proteína encontrada no tecido cicatricial.

Por isso a vitamina C é considerada regeneradora para a pele.

Angiogênese

Angiogênese é o processo de formação de novos vasos sanguíneos daqueles já existentes.

A angiogênese é necessária no processo de regeneração e cicatrização da pele.

Esse processo continua até o contato com um vaso sanguíneo intacto e uma alça capilar se formar com o fluxo sanguíneo direcionado.

Todo esse processo é realizado poucos dias após o trauma. O novo tecido altamente vascularizado tem uma aparência granular (e pode ser por isso que é chamado tecido granulado e é reconhecível por seus nódulos arredondados visíveis do tamanho da cabeça de alfinete.

A cor vermelha escura ou rosa e com aparência úmida e brilhante indicam boa cicatrização.

A má cicatrização é indicada por uma cor azulada e uma aparência manchada de fibrina.

Remodelação dérmica

O colágeno tipo 3 inicialmente estabelecido pelos fibroblastos, mantém temporariamente a ferida unida durante a cicatrização.

O colágeno tipo 3 agora começará a mudar para colágeno tipo 1, devolvendo força e integridade estrutural à área ferida, sendo reorganizado em feixes regularmente alinhados, orientados ao longo das linhas de estresse na ferida cicatrizante. Isso é feito pela enzima colagenase.

Tendo formado abundantes fibras de colágeno, os fibroblastos se transformam em fibrócitos ou mio-fibroblastos. Os fibroblastos mio na área da ferida são responsáveis ​​pela contração da ferida (processo normal em que as bordas da ferida migram em direção ao centro da ferida).

As células epiteliais se dividem e migram sobre as camadas basais para regenerar o epitélio.

As células basais continuam a se dividir até a estratificação epitelial ser restaurada.

Quando a cobertura da superfície da ferida sob a crosta está completa, a crosta se desprende e a epiderme começa a queratinizar. A remodelação da matriz de colágeno pode continuar por anos com a extensão variando entre indivíduos e com a idade. A cicatriz raramente é tão forte quanto o tecido que a substituiu.

Se você quer tratar rugas, alopecia e estrias formando o processo de colagenogênese e angiogênese na pele, venha conhecer o curso completo de Microagulhamento Sem Mistérios.

O CURSO É 100% ONLINE E VOCÊ PODE ASSISTIR ONDE E QUANDO QUISER

As aulas foram gravadas com qualidade de imagem e som profissionais.

AS AULAS PRÁTICAS FORAM GRAVADAS A PARTIR DE TRATAMENTOS REAIS

Dentro do curso você poderá acompanhar diversos tratamentos reais de Microagulhamento Facial e Corporal com o passo a passo dos procedimentos.

TODAS AS AULAS SÃO COMENTADAS E DESCREVEM OS FUNDAMENTOS DO MICROAGULHAMENTO

As aulas teóricas foram pesquisadas durante muitos meses para garantir que você tenha toda a base científica antes de iniciar o atendimento com Microagulhamento. Dentro do curso você irá encontrar toda a bibliografia utilizada.

ACOMPANHAMENTO PERSONALIZADO E SUPORTE

Além de poder assistir todas as aulas quantas vezes você quiser, você irá contar com um suporte personalizado que é feito através de EMAIL, GRUPO FECHADO NO FACEBOOK E UM FÓRUM DENTRO DO CURSO.

O CERTIFICADO É ENTREGUE NO SEU ENDEREÇO e reconhecido para compor horas na faculdade.

E se você não gostar do conteúdo ou achar que trabalhar com o MICROAGULHAMENTO não é para você, eu te dou 7 dias de Garantia.

O Curso Online de Microagulhamento foi criado para te ajudar a aprender a aplicar o Microagulhamento com segurança e para isso precisamos ter certeza de que o conteúdo e as técnicas apresentadas nesse curso servem para você.

Esses comentários mostram um pouquinho da opinião das alunas!

CLIQUE NO LINK ABAIXO E FAÇA A SUA INSCRIÇÃO POR UM PREÇO PROMOCIONAL

https://www.esteticistacomovoce.com.br/inscricoes-microagulhamento/

O que são cosméticos orgânicos?

Devido à crescente preocupação com os possíveis danos que produtos químicos agressivos podem causar ao corpo e ao meio ambiente, o processo de torná-los o mais natural possível é a tendência atual dos cosméticos hoje em dia.

Agora, as mulheres estão procurando produtos feitos de ingredientes naturais ou hipoalergênicos que não irritariam ou prejudicariam a pele. A demanda por produtos de beleza mais seguros deu origem a cosméticos orgânicos.

O modo de vida orgânico, geralmente associado à ingestão de alimentos naturais ampliou seu alcance para cosméticos e produtos para cuidados com a pele.

As pessoas que seguiram o movimento natural começaram a optar por tratamentos de beleza orgânicos para serem mais consistentes com o tipo de estilo de vida que escolheram. Pode-se facilmente encontrar esses produtos em lojas e spa em todo o país. Shampoos que são 95% orgânicos ou sabonetes feitos de óleos essenciais e ervas estão vendendo muito.

Mas a questão ainda permanece: os cosméticos orgânicos são realmente o que parecem?

A resposta para isso depende da escolha dos produtos de maquiagem, pele e beleza. Certos produtos são rápidos em afirmar que são feitos de ingredientes naturais, mas são incapazes de provarem essa afirmação. Por outro lado, existem realmente marcas de cosméticos que oferecem tratamentos de beleza orgânicos. A ideia é descobrir como distinguir o orgânico do inorgânico.

Quais marcas de produtos estão dizendo a verdade e quais são simplesmente propaganda e marketing?

Quais são os produtos realmente orgânicos?

Os produtos de beleza orgânicos não devem conter ingredientes nocivos e substâncias sintéticas. Eles são idealmente feitos de óleos essenciais e ervas encontradas na natureza.

Mesmo com esses ingredientes naturais, eles não devem ter sido sujeitos a pesticidas químicos e outros agentes nocivos.

 A maioria dos produtos para beleza são feitos com óleos essenciais, mas eles também têm certos ingredientes ativos e aditivos que podem não ser bons para o corpo.

Não se deve confundir certos produtos que contêm uma pequena porcentagem de extratos naturais de plantas como orgânicos. Cosméticos orgânicos têm componentes naturais como seus principais ingredientes.

Por que escolher produtos orgânicos?

Surgiram muitos relatórios sobre produtos de beleza convencionais contendo ingredientes cancerígenos. Como a pele é naturalmente difusa, esses componentes podem facilmente entrar na corrente sanguínea e causar danos potenciais ao corpo.

Estar ciente de sua saúde não se limita apenas à ingestão de alimentos, mas também deve ser estendido a outras áreas do seu estilo de vida. Optar por produtos feitos com ingredientes naturais é a melhor maneira de manter o bem-estar do seu corpo e reduzir ao mínimo o risco de ter alergia e vários problemas de saúde.

Mesmo que esses cosméticos clássicos contenham apenas uma pequena quantidade de produtos químicos, eles ainda podem causar danos ao corpo ao longo do tempo.

Os produtos de beleza orgânicos estão atraindo muita popularidade porque oferecem muitos benefícios que os cosméticos convencionais não possuem. O uso contínuo de produtos químicos sintéticos através de cosméticos pode aumentar a carga do seu corpo ou o acúmulo de substâncias tóxicas no seu corpo.

Os cosméticos orgânicos impedem que isso aconteça porque os melhores do mercado não contêm produtos químicos tóxicos normalmente encontrados em cremes e produtos de beleza convencionais.

Como encontrar os cosméticos orgânicos

É fácil ser vítima de exageros no marketing quando você tem uma grande variedade de opções disponíveis no mercado. Devido ao crescente interesse em produtos orgânicos, algumas marcas estão tentando vender seus produtos como orgânicos sem cumprir suas reivindicações.

É importante ter cuidado extra ao fazer sua seleção, porque nem todos os produtos rotulados como orgânicos são exatamente isso. Alguns ainda contêm produtos químicos tóxicos que podem prejudicar o corpo a longo prazo.

Ainda não existem regras rigorosas para distinguir se o produto é orgânico ou não, portanto, cabe ao consumidor garantir que esteja comprando a coisa certa.

Para descobrir se um produto para o cuidado da pele é orgânico ou não, a melhor coisa a fazer é verificar o rótulo. Você deve verificar os ingredientes que compõem sua escolha e ser mais cauteloso em relação a determinados componentes que você pode encontrar listados.

A maioria dos produtos químicos tóxicos é encontrada em pequenas quantidades em determinadas marcas, então você provavelmente encontrará os nomes listados no final da lista dos ingredientes.

Também é uma boa ideia comprar o produto de uma marca confiável. Antes de comprar qualquer coisa, faça uma pesquisa de marcas altamente recomendadas no mercado. A Internet e várias revistas de moda e beleza respeitáveis podem te dar essa vantagem.

Se você quer se tornar especialista em cosmetologia aplicada à estética eu te convido a conhecer o curso online com mais de 47 aulas, e-Books, fórmulas diversas, suporte para as dúvidas, avaliação e certificado entregue no seu endereço.

Como fazer uma esfoliação corretamente

Nesse artigo eu quero te mostrar como remover as células mortas da pele em seu rosto e revelar uma pele mais suave e radiante.

Você só precisa entender como fazer isso da maneira correta.

Esfoliar regularmente, mas não muito, pode revelar uma pele mais saudável e brilhante.

Pense na esfoliação como o aspecto de limpeza profunda da sua rotina de cuidados com a pele. O sabonete facial para uso diário ajuda a livrar a pele da maquiagem, óleo e sujeira no nível da superfície que se acumulam ao longo do dia, enquanto um esfoliante realmente age para remover as células mortas da pele que se acumulam ao longo do tempo.

A esfoliação ajuda a afinar a pele, deixando-a mais limpa, suave, macia e radiante.

Além disso, a esfoliação abre caminho para que os cremes, séruns ou loções sejam absorvidos de maneira mais eficaz.

Depois que a camada superior da pele for removida, os produtos poderão penetrar mais profundamente na pele, o que com o tempo pode dar à pele um brilho muito mais jovem.

Que tipos de esfoliantes para uso na pele estão disponíveis?

Existem três tipos de esfoliação: esfoliantes físicos, esfoliantes mecânicos e esfoliantes químicos. Ambos fazem o trabalho, mas fazem isso de maneiras diferentes.

Como funcionam os esfoliantes físicos?

Os esfoliantes físicos funcionam removendo fisicamente as células com agentes “visíveis”. 

Os esfoliantes físicos contêm grãos ou nozes finamente moídos que, quando esfregados na pele, ajudam a remover as células mortas da pele e a diminuir o excesso de queratina.

Você pode esfoliá-las usando uma escova de limpeza, uma luva, um dispositivo de microdermoabrasão em casa ou apenas as pontas dos dedos.

O ato de esfoliar aumenta a circulação e deixa uma pele suave e viçosa.


Como funcionam os esfoliantes mecânicos?​​​​

Os esfoliantes mecânicos são equipamentos que causam lixamento na pele. Os aparelhos disponíveis para esse procedimento hoje em dia são: Peeling de Cristal e Peeling de Diamante.

Tanto o peeling de cristal como o peeling de diamante são mais fortes do que uma simples esfoliação.

É um equipamento que permite fazer uma micro-dermoabrasão na pele com cristais de óxido de alumínio, capaz de renovar as células da superfície da pele, reduzindo as rugas finas, diminuindo os poros dilatados e a oleosidade da pele.

Já no peeling de diamante, a ponteira é diferente do peeling de cristal, são depositados grânulos de diamante. Possui a mesma função do peeling de cristal, com a diferença de que o peeling de diamante é mais abrasivo tornando o procedimento mais profundo.

Como funcionam os esfoliantes químicos?

Os esfoliantes químicos, por outro lado, funcionam dissolvendo as células mortas da pele com ácido. Existem três famílias de ácidos a procurar na categoria de esfoliantes químicos: alfa hidroxiácidos (AHAs), beta hidroxiácidos (BHAs) e Poli hodroxiácidos (PHAs).

Os AHAs - como o ácido glicólico e o mandélico, que são os mais comuns, funcionam removendo as células mortas da pele através de agentes químicos com um ph abaixo do ph da pele.

Os AHAs são solúveis em água, enquanto os BHAs são solúveis em gordura, o que significa que conseguem ultrapassar a barreira lipídica mais facilmente. Isso torna os BHAs uma boa opção para tipos de pele oleosa e pessoas com pele propensa a acne . Procure o ácido salicílico, o BHA mais popular, em particular.

O ácido salicílico tópico com uma concentração de 1,5% aplicada duas vezes ao dia durante um mês pode ter uma melhora da acne facial em até 95%.

A família dos Poli hidroxiácidos é ideal para peles sensíveis e serve para rosácea. As moléculas são grandes, o processo é mais suave e superficial e penetra lentamente na pele. 

Nos poli hidroxiácidos podemos encontrar o ácido lactobiônico e a Gluconolactona.

Usando um esfoliante físico

Se você estiver usando um esfoliante físico, primeiro molhe o rosto e aplique uma quantidade do tamanho de uma bolinha para esfoliação. Massageie na pele com movimentos circulares e depois enxágue com água. Verifique também as instruções da embalagem.

Usando um esfoliante químico


Os esfoliantes químicos, por outro lado, geralmente são tratamentos usados a noite em casa ou em tratamentos com profissional da estética.  

Para os tratamentos em casa, os agentes químicos são usados em porcentagens baixas para não ocasionar malefícios à pele.

O uso dos peelings químicos com profissional, deverá antes passar por uma avaliação para saber qual é o melhor tipo de ácido, concentração e modo de uso para cada tipo e necessidade de pele.

Muito cuidados com esses procedimentos, pois tornam a pele mais sensível e há necessidade de aplicação de um filtro solar no mínimo fator 30 todos os dias, e repassá-lo de preferência ao longo do dia.


É possível esfoliar demais a pele?

Embora a esfoliação seja geralmente bem tolerada dependendo do produto e a frequência certa, não é seguro para pessoas com acne inflamatória ou rosácea

Essas pessoas devem consultar uma profissional antes de iniciar uma rotina de esfoliação, porque certos esfoliantes podem piorar essas condições.

Todos os demais devem ter cuidado também, pois a exfoliação excessiva pode ser severa para a pele e causar irritação.

A esfoliação diária pode ser bastante irritante e ressecar a pele. O recomendável é realizar a esfoliação uma ou duas vezes por semana.

Não há limite exato de quanto de esfoliação será demais, pois depende do seu tipo de pele e do esfoliante que você está usando.

Se aplicando um esfoliante em casa a pele apresentar vermelhidão após a esfoliação, se tornar excessivamente sensível e acompanhada por uma sensação de queimação, esses são sinais que você precisa reduzir.

O recomendável é que pessoas com pele sensível evitem escovas de limpeza e luvas esfoliantes ao usar esfoliantes físicos.

Os ácidos também não são totalmente seguros para os tipos de pele sensível, por isso é muito importante procurar profissional de estética.

Peeling Rose de Mer

Par quem trabalha na estética ou está iniciando na carreira agora, existe um método natural para aplicação em clientes que serve para todos os tipos de pele e inclusive para gestantes.

Se trata de um ativo natural que foi encontrado nas profundezas do mar do Oriente médio. A técnica e os produtos vêm de Israel e já estão sendo implementadas aqui no Brasil com o nome de Peeling Rose de Mer. 

O peeling Rose de Mer causa intensa descamação logo após o terceiro dia da aplicação e não causa intercorrências, por ser natural.

Para saber mais detalhes de como aplicar a técnica do Peeling Rose de Mer, clique no link abaixo:

Como se livrar das cicatrizes de acne

A acne tem uma prevalência de mais de 90% entre os adolescentes e persiste na idade adulta em aproximadamente 12% a 14% dos casos com implicações psicológicas e sociais de alta gravidade.

Introdução

Todas as áreas do corpo com altas concentrações de glândulas pilossebáceas estão envolvidas, mas em particular o rosto, as costas e o peito. As lesões inflamatórias da acne podem resultar em cicatrizes permanentes, cuja gravidade pode depender de atrasos no tratamento de pacientes com acne. O costume de ficar “cutucando” um cravo ou uma espinha gera consequências formando as cicatrizes.

O fato é que muitas pessoas sem o esclarecimento necessário se atrevem até a extrair uma acne com as próprias unhas e isso gera uma lesão que por fim se torna uma cicatriz, por isso é tão importante a busca de um profissional para realizar uma limpeza de pele mensal.

Atualmente, a patogênese da acne é atribuída a vários fatores, como aumento da produção de sebo, alteração da qualidade dos lipídios do sebo, fatores genéticos, proliferação de Propionibacterium acnes (P. acnes) no folículo e excesso de queratina no folículo piloso.

A excreção aumentada de sebo contribui para o desenvolvimento da acne.

Cicatrização

A cicatrização pode ocorrer como resultado de danos à pele durante a formação da acne ativa.

Existem dois tipos básicos de cicatriz, dependendo da perda ou ganho líquido de colágeno (cicatrizes atróficas e hipertróficas).

Oitenta a noventa por cento das pessoas com cicatrizes de acne têm cicatrizes associadas à perda de colágeno (cicatrizes atróficas) em comparação com uma minoria que mostra cicatrizes hipertróficas e queloides.

Tipos de cicatrizes

As cicatrizes de acne atrófica são mais comuns. As queloidianas e as cicatrizes hipertróficas são mais raras. Essas ocorrem quando o quadro de acne na adolescência foi muito avançado criando cistos e quando o paciente tem tendência genética para essa formação.

Profundidade

Quanto a profundidade das cicatrizes de acne, elas podem ser rasas (0,1 a 0,5 mm) ou profundas (maior que 0,5 mm).

Às vezes, os três tipos diferentes de cicatrizes atróficas podem ser observados nos mesmos pacientes e pode ser muito difícil diferenciar entre eles.

Cicatrizes hipertróficas e queloidianas

Cicatrizes hipertróficas e queloidianas estão associadas ao excesso de deposição de colágeno.

As cicatrizes hipertróficas são tipicamente rosadas, elevadas e firmes, com feixes grossos de colágeno

A histologia das cicatrizes hipertróficas pós acne é semelhante à de outras cicatrizes dérmicas. Em contraste, os queloides se formam como pápulas e nódulos roxo-avermelhados que proliferam além das bordas da ferida original. São mais comuns em indivíduos de pele mais escura e ocorrem predominantemente no tronco.

Pode ocorrer na face pós acne avançada, porém é mais raro.

Tratamento

A prevenção é o principal passo para evitar o aparecimento de cicatrizes pós-acne. Fatores genéticos e capacidade de responder ao trauma são os principais fatores que influenciam a formação de cicatrizes.

Primeiro, é importante reduzir ao máximo a duração e a intensidade da inflamação, enfatizando a importância do tratamento da acne. O uso de retinoides tópicos e vitamina c são úteis na prevenção de cicatrizes de acne.

Tratamento para cicatriz hipertrófica ou queloidiana

Crioterapia

A crioterapia com nitrogênio líquido pode melhorar significativamente a aparência clínica de cicatrizes hipertróficas e queloides e determinar sua regressão completa.

As baixas temperaturas alcançadas durante as sessões de crioterapia causam uma diminuição do fluxo sanguíneo (vasoconstrição) e causam uma necrose tecidual.

A idade e o tamanho da cicatriz são fatores importantes que condicionam o resultado dessa técnica: cicatrizes mais jovens e menores são mais responsivas à crioterapia.

Comparada às injeções de corticosteróides, a criocirurgia é significativamente mais eficaz do que os métodos alternativos para lesões ricamente vascularizadas 12 meses mais jovens.

Durante cada sessão de crioterapia, o paciente geralmente é submetido a 2-3 ciclos, cada um com duração inferior a 25 segundos.

As possíveis reações adversas são representadas por hipo e hiperpigmentação, atrofia da pele e dor.

Em relação às lesões localizadas na face, os possíveis resultados do congelamento restringem o uso de crioterapia nessas áreas, principalmente nos casos em que as cicatrizes são numerosas ou em fototipos escuros. Portanto, a crioterapia pode ser levada em consideração especialmente para cicatrizes localizadas no tronco ou para cicatrizes particularmente volumosas no rosto.

Tratamento para cicatrizes de acne comuns ou atróficas

Microagulhamento

O microagulhamento cutâneo é uma técnica recentemente proposta que envolve o uso de um rolo estéril composto por uma série de agulhas finas e afiadas para perfurar a pele.

A técnica pode ser aplicada também com uma caneta específica contendo cartucho de agulhas.

Antes do procedimento, a pele facial deve ser desinfetada e, em seguida, é aplicado um anestésico tópico, deixado por alguns minutos.

O procedimento de agulhamento cutâneo é realizado utilizando-se um dermaroller nas áreas cutâneas afetadas por cicatrizes de acne, para trás e para frente com alguma pressão em várias direções.

As agulhas penetram cerca de 1,5 a 2 mm na derme, dependendo da profundidade das agulhas. Como esperado, a pele sangra por um curto período de tempo, mas isso logo para.

A pele desenvolve múltiplos micro furos na derme que iniciam a cascata complexa de fatores de crescimento que finalmente resulta na produção de colágeno.

A histologia mostra espessamento da pele e um aumento significativo de novas fibras de colágeno e elastina. Os resultados começam a ser vistos após somente algumas semanas.

Como a deposição de novo colágeno ocorre lentamente, a textura da pele continuará melhorando ao longo de um período de 12 meses.

Os resultados clínicos variam entre os pacientes, mas todos os pacientes atingem uma melhora significativa.

O número de tratamentos necessários varia dependendo da resposta individual do colágeno, da condição do tecido e dos resultados desejados.

O microagulhamento cutâneo pode ser realizado com segurança em todas as cores e tipos de pele: existe um risco menor de hiperpigmentação pós-inflamatória do que outros procedimentos, como dermo abrasão, peelings químicos e procedimento a laser.

O microagulhamento cutâneo é contraindicado na presença de terapias anticoagulantes, infecções ativas da pele, diabetes descompensada, histórico pessoal ou familiar de cicatrizes hipertróficas e queloides, gestantes.

Se você quer tratar as cicatrizes de acne do seu rosto ou de suas clientes, torne-se profissional e faça de uma maneira segura e eficiente.

Acesse o link abaixo para conhecer o treinamento online de Microagulhamento:

Como fortalecer o sistema imunológico em época de Coronavírus

O mundo todo sabe dessa Pandemia que está assolando praticamente todos os países, inclusive o Brasil.

Além de tomarmos medidas como evitar a exposição fora de casa, usar máscaras, higienizar as mãos com água e sabão e álcool 70, podemos também tomar algumas medidas para fortalecer o nosso sistema imunológico na precaução ao Coronavírus.

Leia essa matéria para aprender algumas medidas e os 15 alimentos para fortalecer o seu sistema imunológico.

Maneiras úteis de fortalecer seu sistema imunológico e combater doenças

No geral, seu sistema imunológico faz um trabalho notável em defender o seu corpo contra microrganismos causadores de doenças, mas às vezes ele pode ficar vulnerável.

É possível intervir nesse processo e impulsionar seu sistema imunológico?

E se você melhorar sua dieta?

É possível tomar certas vitaminas ou preparações à base de plantas?

Dá para fazer outras mudanças no estilo de vida na esperança de produzir uma resposta imune quase perfeita?

O sistema imunológico é precisamente isso, um sistema, não uma entidade única. Para funcionar bem, requer equilíbrio e harmonia.

Os pesquisadores estão explorando os efeitos da dieta, exercício, idade, estresse psicológico e outros fatores na resposta imune, tanto em animais quanto em humanos. Enquanto isso, estratégias gerais de vida saudável são uma boa maneira de começar a dar vantagem ao seu sistema imunológico.

Todas as partes do corpo, incluindo o sistema imunológico, funcionam melhor quando protegidas contra ataques ambientais e apoiadas por estratégias de vida saudável, como estas:

  • Não fumar
  • Manter uma alimentação rica em frutas e legumes
  • Fazer exercícios regularmente, mesmo que dentro de casa
  • Manter um peso saudável
  • Evitar o consumo de álcool ou consumir com moderação
  • Dormir adequadamente
  • Tomar medidas para evitar infecções, como lavar as mãos com frequência e cozinhar bem as carnes.
  • Minimizar o estresse
  • Consumir vitamina c todos os dias


Sistema imunológico e a idade


À medida que envelhecemos, nossa capacidade de resposta imune diminui, o que, por sua vez, contribui para mais infecções. À medida que a expectativa de vida nos países desenvolvidos aumentou, também aumentou a incidência de condições relacionadas à idade, e é por isso que o maior grupo de risco ao Coronavírus são os idosos.

Enquanto algumas pessoas envelhecem de maneira saudável, a conclusão de muitos estudos é que, em comparação com as pessoas mais jovens, os idosos têm maior probabilidade de contrair doenças infecciosas e, ainda mais importante, mais chances de morrer por causa delas.

Infecções respiratórias, gripe e particularmente pneumonia são uma das principais causas de morte em pessoas com mais de 65 anos em todo o mundo. Ninguém sabe ao certo por que isso acontece, mas alguns cientistas observam que esse risco aumentado se correlaciona com uma diminuição nas células T, possivelmente pelo timo atrofiando com a idade e produzindo menos células T para combater a infecção.

Se essa diminuição na função do timo explica a queda nas células T ou se outras alterações desempenham um papel, ainda não está totalmente esclarecido. Outros estão interessados em saber se a medula óssea se torna menos eficiente na produção das células-tronco que dão origem às células do sistema imunológico.

Uma redução na resposta imune a infecções foi demonstrada pela resposta das pessoas mais velhas às vacinas. Por exemplo, estudos de vacinas contra influenza mostraram que, para pessoas acima de 65 anos, a vacina é muito menos eficaz em comparação com crianças saudáveis (acima de 2 anos).

Mas, apesar da redução da eficácia, as vacinas contra influenza e infecções respiratórias reduziram significativamente as taxas de doença e morte em idosos quando comparados com a ausência de vacinação.

Parece haver uma conexão entre nutrição e imunidade em idosos. Uma forma de desnutrição surpreendentemente comum mesmo em países ricos é conhecida como "desnutrição por micronutrientes". A desnutrição por micronutrientes, na qual uma pessoa é deficiente em algumas vitaminas essenciais e minerais, obtidos ou suplementados pela dieta, pode ser comum em idosos.

Os idosos tendem a comer menos e geralmente têm menos variedade em suas dietas. Uma questão importante é se os suplementos alimentares podem ajudar as pessoas mais velhas a manter um sistema imunológico mais saudável.

As pessoas idosas devem discutir esta questão com um médico especializado em nutrição geriátrica, porque, embora alguma suplementação dietética possa ser benéfica para as pessoas idosas, mesmo pequenas mudanças podem ter sérias repercussões nessa faixa etária.

Dieta e seu sistema imunológico

Como qualquer força de combate, o exército do sistema imunológico marcha sobre seu estômago. Guerreiros saudáveis ​​do sistema imunológico precisam de nutrição regular e boa.

Os cientistas há muito reconhecem que as pessoas que vivem na pobreza e estão desnutridas são mais vulneráveis ​​a doenças infecciosas.

Se você suspeitar que sua dieta não está fornecendo todas as suas necessidades de micronutrientes, (talvez, por exemplo, você não goste de legumes), tomar um suplemento mineral e multivitamínico diariamente pode trazer outros benefícios à saúde, além de possíveis efeitos benéficos para o sistema imunológico

Agora, tomar megadoses de uma única vitamina não é eficiente.

Melhorar a imunidade com ervas e suplementos funciona?

Entre em uma loja e encontrará frascos de comprimidos e preparações à base de plantas que alegam "apoiar a imunidade" ou aumentar a saúde do seu sistema imunológico. Embora algumas preparações alterem alguns componentes da função imunológica, até o momento não há evidências de que elas realmente reforcem a imunidade a um ponto em que você esteja mais protegido contra infecções e doenças.

Demonstrar se uma erva, ou qualquer substância, para esse efeito pode aumentar a imunidade é, ainda, um assunto altamente complicado. Os cientistas não sabem, por exemplo, se uma erva que parece aumentar os níveis de anticorpos no sangue está realmente fazendo algo benéfico para a imunidade geral.

Estresse e função imunológica


A medicina moderna passou a apreciar a relação intimamente ligada da mente e do corpo. Uma grande variedade de doenças, incluindo dores de estômago, urticária e até doenças cardíacas, estão ligadas aos efeitos do estresse emocional. Apesar dos desafios, os cientistas estão estudando ativamente a relação entre estresse e a função imunológica.

Por um lado, é difícil definir o estresse. O que pode parecer uma situação estressante para uma pessoa não é para outra. Quando as pessoas são expostas a situações que consideram estressantes, é difícil medir quanto estresse elas sentem e difícil para o cientista saber se a impressão subjetiva de uma pessoa sobre a quantidade de estresse é precisa.

O cientista só pode medir coisas que podem refletir o estresse, como o número de vezes que o coração bate a cada minuto, mas essas medidas também podem refletir outros fatores.

Alguns cientistas estão investigando se o estresse contínuo afeta o sistema imunológico. Apesar dessas dificuldades inevitáveis em medir a relação do estresse com a imunidade, os cientistas estão progredindo.

O tempo frio enfraquece o sistema imunológico?



Toda mãe diz: "Vista uma blusa ou você vai pegar um resfriado!" Ela está certa? Até agora, os pesquisadores que estudam essa pergunta acham que a exposição normal ao frio moderado não aumenta sua suscetibilidade à infecção. A maioria dos especialistas em saúde concorda que o motivo do inverno ser propício para gripes não é que as pessoas estejam com frio, mas que passam mais tempo em ambientes fechados, em contato mais próximo com outras pessoas que podem transmitir seus germes.

Mas os pesquisadores continuam interessados ​​nesta questão em diferentes populações. Algumas experiências com ratos sugerem que a exposição ao frio pode reduzir a capacidade de lidar com a infecção. Mas e os humanos? Os cientistas mergulharam as pessoas em água fria e fizeram outras ficarem nuas em temperaturas abaixo de zero.

Eles estudaram pessoas que moravam na Antártica e em expedições nas Montanhas Rochosas canadenses. Os resultados foram misturados. Por exemplo, os pesquisadores documentaram um aumento nas infecções respiratórias superiores em esquiadores competitivos que praticam exercícios vigorosamente no frio, mas se essas infecções são devidas ao frio ou a outros fatores, como o exercício intenso ou a secura do ar, não foi conhecido.

Um grupo de pesquisadores canadenses que revisou centenas de estudos médicos sobre o assunto e conduziu algumas de suas próprias pesquisas conclui que não há necessidade de se preocupar com exposição moderada ao frio porque isso não tem efeito prejudicial no sistema imunológico humano.

Exercício físico é bom ou ruim para a imunidade?

O exercício regular é um dos pilares da vida saudável. Melhora a saúde cardiovascular, diminui a pressão sanguínea, ajuda a controlar o peso corporal e protege contra uma variedade de doenças.

Assim como uma dieta saudável, o exercício pode contribuir para a boa saúde geral e, portanto, para um sistema imunológico saudável. Pode contribuir ainda mais diretamente promovendo uma boa circulação sanguínea, o que permite que as células e substâncias do sistema imunológico se movam livremente pelo corpo e façam seu trabalho com eficiência.


Agora, planeje as suas refeições para incluir esses 15 potentes fortalecedores do sistema imunológico:

1. Frutas cítricas

Como seu corpo não produz ou armazena, você precisa de vitamina C diariamente para manter a saúde. Quase todas as frutas cítricas são ricas em vitamina C. Com essa variedade para escolher, é fácil adicionar um pouco dessa vitamina a qualquer refeição.

Laranjas, tangerinas, limões e acerola.

2. pimentão vermelho

Se você acha que as frutas cítricas têm mais vitamina C de qualquer fruta ou vegetal, pense novamente. O pimentão vermelho contém duas vezes mais vitamina C do que as frutas cítricas.

Eles também são uma fonte rica de betacaroteno, além de fortalecer seu sistema imunológico, a vitamina C pode ajudar a manter a pele saudável. O betacaroteno encontrado no pimentão vermelho ajuda a manter os olhos e a pele saudáveis.

3. Brócolis

Brócolis é sobrecarregado com vitaminas e minerais. Repleto de vitaminas A, C e E, além de muitos outros antioxidantes e fibras, o brócolis é um dos vegetais mais saudáveis que você pode colocar em sua mesa.
A chave para manter seu poder intacto é cozinhá-lo o mínimo possível, ou melhor ainda, consumir cru.

4. Alho

O alho é encontrado em quase todas as cozinhas do mundo. Acrescenta um pouco de gosto à comida e é essencial para a sua saúde.
As primeiras civilizações reconheceram seu valor no combate a infecções. O alho também pode ajudar a baixar a pressão sanguínea e retardar o endurecimento das artérias. As propriedades de aumento da imunidade do alho parecem provir de uma forte concentração de compostos como a alicina, que é responsável pelos seus benefícios medicinais.

5. Gengibre

O gengibre é outro ingrediente ao qual muitos recorrem depois de ficar doente. O gengibre pode ajudar a diminuir a inflamação, o que pode ajudar a reduzir a dor de garganta e outras doenças inflamatórias. O gengibre também pode ajudar a diminuir as náuseas.

6. Espinafre

O espinafre fez parte da lista não apenas por ser rico em vitamina C, ele também contém vários antioxidantes e betacaroteno, que podem aumentar a capacidade de combater infecções de nosso sistema imunológico.

Semelhante ao brócolis, o espinafre é mais saudável quando cozido o mínimo possível, para que retenha seus nutrientes. No entanto, o cozimento leve aumenta sua vitamina A e permite que outros nutrientes sejam liberados.

7. Iogurte

Procure por iogurtes com "culturas vivas e ativas" impressas no rótulo, como o iogurte grego. Essas culturas podem estimular seu sistema imunológico para ajudar a combater doenças. Tente consumir iogurtes naturais, em vez dos tipos preferidos e carregados de açúcar. Você pode adoçar o iogurte natural com frutas saudáveis ou mel.

O iogurte também pode ser uma ótima fonte de vitamina D, portanto, tente selecionar marcas enriquecidas com vitamina D. A vitamina D ajuda a regular o sistema imunológico e acredita-se que aumenta as defesas naturais do corpo contra doenças.

8. Amêndoas

Quando se trata de prevenir e combater resfriados, a vitamina E tende a ficar atrás da vitamina C. No entanto, a vitamina E é a chave para um sistema imunológico saudável. É uma vitamina lipossolúvel, o que significa que exige que a presença de gordura seja absorvida adequadamente.

Nozes e amêndoas contêm muita vitamina e também têm gorduras saudáveis. Uma porção de meia xícara, com cerca de 46 amêndoas inteiras e sem casca, fornece quase 100% da quantidade diária recomendada de vitamina E.


9. Açafrão

Essa especiaria amarga e amarelada também tem sido usada há anos como anti-inflamatório no tratamento da osteoartrite e da artrite reumatoide . Além disso, fonte confiável de pesquisa mostra que altas concentrações de curcumina, que conferem cor à cúrcuma, podem ajudar a diminuir os danos musculares induzidos pelo exercício.

10. chá verde

Os chás verde e preto são embalados com flavonoides, um tipo de antioxidante. Onde o chá verde realmente se destaca é nos seus níveis de galato de epigalocatequina, ou EGCG, outro poderoso antioxidante. Demonstrou-se que o EGCG melhora a função imunológica.

O processo de fermentação do chá preto destrói grande parte do EGCG. O chá verde, por outro lado, é cozido no vapor e não fermentado; portanto, o EGCG é preservado.

O chá verde também é uma boa fonte do aminoácido L-teanina . A L-teanina pode ajudar na produção de compostos de combate a germes em suas células T.

11. Mamão

O mamão é outra fruta carregada de vitamina C. Você pode encontrar 224% da quantidade diária recomendada de vitamina C em um único mamão. A papaia também possui uma enzima digestiva chamada papaína que tem efeitos anti-inflamatórios.

A papaia tem quantidades decentes de potássio, vitaminas do complexo B e folato, todas benéficas para a saúde geral.

12. Kiwi

Os kiwis são naturalmente cheios de uma tonelada de nutrientes essenciais, incluindo folato, potássio, vitamina K e vitamina C.

A vitamina C aumenta os glóbulos brancos para combater infecções, enquanto os outros nutrientes do kiwi mantêm o resto do corpo funcionando corretamente.

13. Carne de frango

Quando você está doente, a canja de galinha é mais do que apenas uma comida saudável com efeito placebo. Ajuda a melhorar os sintomas de um resfriado e ajuda a protegê-lo de ficar doente em primeiro lugar. Aves, como frango e peru, são ricos em vitamina B-6. Cerca de 90 gramas de carne de peru ou frango light contêm de 40 a 50% da quantidade diária recomendada de vitamina  B-6.

A vitamina B-6 é um participante importante em muitas das reações químicas que acontecem no corpo. Também é vital para a formação de novos e saudáveis glóbulos vermelhos.

O caldo ou caldo feito com ossos de galinha fervido contém gelatina, condroitina e outros nutrientes úteis para a cura e imunidade do intestino, além de restaurar as articulações.

14. sementes de girassol

As sementes de girassol estão cheias de nutrientes, incluindo fósforo, magnésio e vitamina B-6. Eles também são incrivelmente ricos em vitamina E, um poderoso antioxidante.

A vitamina E é importante na regulação e manutenção da função do sistema imunológico. Outros alimentos com altas quantidades de vitamina E incluem abacate e folhas verdes escuras.

15. Mariscos

Para muitos que tentam melhorar seu sistema imunológico, o marisco não é o que vem à mente, mas alguns tipos de marisco são cheios de zinco.

O zinco não recebe tanta atenção quanto muitas outras vitaminas e minerais, mas nosso corpo precisa dele para que nossas células imunológicas possam funcionar como pretendido.

Variedades de mariscos com alto teor de zinco incluem:

Caranguejo, mexilhão e lagosta

Lembre-se de que não deseja ter mais do que a quantidade diária recomendada de zinco em sua dieta. Para homens adultos, são 11 miligramas (mg) e para mulheres, são 8 mg. O excesso de zinco pode realmente inibir a função do sistema imunológico.

Mais maneiras de prevenir a gripe e o Coronavírus. 

Variedade é a chave para uma nutrição adequada. Comer apenas um desses alimentos não será suficiente para ajudar a combater a gripe, mesmo que você coma constantemente. Preste atenção ao tamanho das doses e à ingestão diária recomendada, para que você não consuma vitamina de mais e nem de menos.

Comer corretamente é um ótimo começo. Comece com estes princípios básicos de prevenção da gripe e outros patógenos.

Agora, enquanto o Coronavírus não passa, você precisa além de se prevenir com todas essas dicas, você precisa se preparar para voltar ao seu campo de trabalho muito mais atualizada e com um leque maior de opções de serviços para conquistar mais clientes e aumentar o seu faturamento.

Conheça os combos de cursos variados de estética com até 50% de desconto.

Acesse agora!

1 2 3 13