março 22

Como fortalecer o sistema imunológico em época de Coronavírus

O mundo todo sabe dessa Pandemia que está assolando praticamente todos os países, inclusive o Brasil.

Além de tomarmos medidas como evitar a exposição fora de casa, usar máscaras, higienizar as mãos com água e sabão e álcool 70, podemos também tomar algumas medidas para fortalecer o nosso sistema imunológico na precaução ao Coronavírus.

Leia essa matéria para aprender algumas medidas e os 15 alimentos para fortalecer o seu sistema imunológico.

Maneiras úteis de fortalecer seu sistema imunológico e combater doenças

No geral, seu sistema imunológico faz um trabalho notável em defender o seu corpo contra microrganismos causadores de doenças, mas às vezes ele pode ficar vulnerável.

É possível intervir nesse processo e impulsionar seu sistema imunológico?

E se você melhorar sua dieta?

É possível tomar certas vitaminas ou preparações à base de plantas?

Dá para fazer outras mudanças no estilo de vida na esperança de produzir uma resposta imune quase perfeita?

O sistema imunológico é precisamente isso, um sistema, não uma entidade única. Para funcionar bem, requer equilíbrio e harmonia.

Os pesquisadores estão explorando os efeitos da dieta, exercício, idade, estresse psicológico e outros fatores na resposta imune, tanto em animais quanto em humanos. Enquanto isso, estratégias gerais de vida saudável são uma boa maneira de começar a dar vantagem ao seu sistema imunológico.

Todas as partes do corpo, incluindo o sistema imunológico, funcionam melhor quando protegidas contra ataques ambientais e apoiadas por estratégias de vida saudável, como estas:

  • Não fumar
  • Manter uma alimentação rica em frutas e legumes
  • Fazer exercícios regularmente, mesmo que dentro de casa
  • Manter um peso saudável
  • Evitar o consumo de álcool ou consumir com moderação
  • Dormir adequadamente
  • Tomar medidas para evitar infecções, como lavar as mãos com frequência e cozinhar bem as carnes.
  • Minimizar o estresse
  • Consumir vitamina c todos os dias


Sistema imunológico e a idade


À medida que envelhecemos, nossa capacidade de resposta imune diminui, o que, por sua vez, contribui para mais infecções. À medida que a expectativa de vida nos países desenvolvidos aumentou, também aumentou a incidência de condições relacionadas à idade, e é por isso que o maior grupo de risco ao Coronavírus são os idosos.

Enquanto algumas pessoas envelhecem de maneira saudável, a conclusão de muitos estudos é que, em comparação com as pessoas mais jovens, os idosos têm maior probabilidade de contrair doenças infecciosas e, ainda mais importante, mais chances de morrer por causa delas.

Infecções respiratórias, gripe e particularmente pneumonia são uma das principais causas de morte em pessoas com mais de 65 anos em todo o mundo. Ninguém sabe ao certo por que isso acontece, mas alguns cientistas observam que esse risco aumentado se correlaciona com uma diminuição nas células T, possivelmente pelo timo atrofiando com a idade e produzindo menos células T para combater a infecção.

Se essa diminuição na função do timo explica a queda nas células T ou se outras alterações desempenham um papel, ainda não está totalmente esclarecido. Outros estão interessados em saber se a medula óssea se torna menos eficiente na produção das células-tronco que dão origem às células do sistema imunológico.

Uma redução na resposta imune a infecções foi demonstrada pela resposta das pessoas mais velhas às vacinas. Por exemplo, estudos de vacinas contra influenza mostraram que, para pessoas acima de 65 anos, a vacina é muito menos eficaz em comparação com crianças saudáveis (acima de 2 anos).

Mas, apesar da redução da eficácia, as vacinas contra influenza e infecções respiratórias reduziram significativamente as taxas de doença e morte em idosos quando comparados com a ausência de vacinação.

Parece haver uma conexão entre nutrição e imunidade em idosos. Uma forma de desnutrição surpreendentemente comum mesmo em países ricos é conhecida como "desnutrição por micronutrientes". A desnutrição por micronutrientes, na qual uma pessoa é deficiente em algumas vitaminas essenciais e minerais, obtidos ou suplementados pela dieta, pode ser comum em idosos.

Os idosos tendem a comer menos e geralmente têm menos variedade em suas dietas. Uma questão importante é se os suplementos alimentares podem ajudar as pessoas mais velhas a manter um sistema imunológico mais saudável.

As pessoas idosas devem discutir esta questão com um médico especializado em nutrição geriátrica, porque, embora alguma suplementação dietética possa ser benéfica para as pessoas idosas, mesmo pequenas mudanças podem ter sérias repercussões nessa faixa etária.

Dieta e seu sistema imunológico

Como qualquer força de combate, o exército do sistema imunológico marcha sobre seu estômago. Guerreiros saudáveis ​​do sistema imunológico precisam de nutrição regular e boa.

Os cientistas há muito reconhecem que as pessoas que vivem na pobreza e estão desnutridas são mais vulneráveis ​​a doenças infecciosas.

Se você suspeitar que sua dieta não está fornecendo todas as suas necessidades de micronutrientes, (talvez, por exemplo, você não goste de legumes), tomar um suplemento mineral e multivitamínico diariamente pode trazer outros benefícios à saúde, além de possíveis efeitos benéficos para o sistema imunológico

Agora, tomar megadoses de uma única vitamina não é eficiente.

Melhorar a imunidade com ervas e suplementos funciona?

Entre em uma loja e encontrará frascos de comprimidos e preparações à base de plantas que alegam "apoiar a imunidade" ou aumentar a saúde do seu sistema imunológico. Embora algumas preparações alterem alguns componentes da função imunológica, até o momento não há evidências de que elas realmente reforcem a imunidade a um ponto em que você esteja mais protegido contra infecções e doenças.

Demonstrar se uma erva, ou qualquer substância, para esse efeito pode aumentar a imunidade é, ainda, um assunto altamente complicado. Os cientistas não sabem, por exemplo, se uma erva que parece aumentar os níveis de anticorpos no sangue está realmente fazendo algo benéfico para a imunidade geral.

Estresse e função imunológica


A medicina moderna passou a apreciar a relação intimamente ligada da mente e do corpo. Uma grande variedade de doenças, incluindo dores de estômago, urticária e até doenças cardíacas, estão ligadas aos efeitos do estresse emocional. Apesar dos desafios, os cientistas estão estudando ativamente a relação entre estresse e a função imunológica.

Por um lado, é difícil definir o estresse. O que pode parecer uma situação estressante para uma pessoa não é para outra. Quando as pessoas são expostas a situações que consideram estressantes, é difícil medir quanto estresse elas sentem e difícil para o cientista saber se a impressão subjetiva de uma pessoa sobre a quantidade de estresse é precisa.

O cientista só pode medir coisas que podem refletir o estresse, como o número de vezes que o coração bate a cada minuto, mas essas medidas também podem refletir outros fatores.

Alguns cientistas estão investigando se o estresse contínuo afeta o sistema imunológico. Apesar dessas dificuldades inevitáveis em medir a relação do estresse com a imunidade, os cientistas estão progredindo.

O tempo frio enfraquece o sistema imunológico?



Toda mãe diz: "Vista uma blusa ou você vai pegar um resfriado!" Ela está certa? Até agora, os pesquisadores que estudam essa pergunta acham que a exposição normal ao frio moderado não aumenta sua suscetibilidade à infecção. A maioria dos especialistas em saúde concorda que o motivo do inverno ser propício para gripes não é que as pessoas estejam com frio, mas que passam mais tempo em ambientes fechados, em contato mais próximo com outras pessoas que podem transmitir seus germes.

Mas os pesquisadores continuam interessados ​​nesta questão em diferentes populações. Algumas experiências com ratos sugerem que a exposição ao frio pode reduzir a capacidade de lidar com a infecção. Mas e os humanos? Os cientistas mergulharam as pessoas em água fria e fizeram outras ficarem nuas em temperaturas abaixo de zero.

Eles estudaram pessoas que moravam na Antártica e em expedições nas Montanhas Rochosas canadenses. Os resultados foram misturados. Por exemplo, os pesquisadores documentaram um aumento nas infecções respiratórias superiores em esquiadores competitivos que praticam exercícios vigorosamente no frio, mas se essas infecções são devidas ao frio ou a outros fatores, como o exercício intenso ou a secura do ar, não foi conhecido.

Um grupo de pesquisadores canadenses que revisou centenas de estudos médicos sobre o assunto e conduziu algumas de suas próprias pesquisas conclui que não há necessidade de se preocupar com exposição moderada ao frio porque isso não tem efeito prejudicial no sistema imunológico humano.

Exercício físico é bom ou ruim para a imunidade?

O exercício regular é um dos pilares da vida saudável. Melhora a saúde cardiovascular, diminui a pressão sanguínea, ajuda a controlar o peso corporal e protege contra uma variedade de doenças.

Assim como uma dieta saudável, o exercício pode contribuir para a boa saúde geral e, portanto, para um sistema imunológico saudável. Pode contribuir ainda mais diretamente promovendo uma boa circulação sanguínea, o que permite que as células e substâncias do sistema imunológico se movam livremente pelo corpo e façam seu trabalho com eficiência.


Agora, planeje as suas refeições para incluir esses 15 potentes fortalecedores do sistema imunológico:

1. Frutas cítricas

Como seu corpo não produz ou armazena, você precisa de vitamina C diariamente para manter a saúde. Quase todas as frutas cítricas são ricas em vitamina C. Com essa variedade para escolher, é fácil adicionar um pouco dessa vitamina a qualquer refeição.

Laranjas, tangerinas, limões e acerola.

2. pimentão vermelho

Se você acha que as frutas cítricas têm mais vitamina C de qualquer fruta ou vegetal, pense novamente. O pimentão vermelho contém duas vezes mais vitamina C do que as frutas cítricas.

Eles também são uma fonte rica de betacaroteno, além de fortalecer seu sistema imunológico, a vitamina C pode ajudar a manter a pele saudável. O betacaroteno encontrado no pimentão vermelho ajuda a manter os olhos e a pele saudáveis.

3. Brócolis

Brócolis é sobrecarregado com vitaminas e minerais. Repleto de vitaminas A, C e E, além de muitos outros antioxidantes e fibras, o brócolis é um dos vegetais mais saudáveis que você pode colocar em sua mesa.
A chave para manter seu poder intacto é cozinhá-lo o mínimo possível, ou melhor ainda, consumir cru.

4. Alho

O alho é encontrado em quase todas as cozinhas do mundo. Acrescenta um pouco de gosto à comida e é essencial para a sua saúde.
As primeiras civilizações reconheceram seu valor no combate a infecções. O alho também pode ajudar a baixar a pressão sanguínea e retardar o endurecimento das artérias. As propriedades de aumento da imunidade do alho parecem provir de uma forte concentração de compostos como a alicina, que é responsável pelos seus benefícios medicinais.

5. Gengibre

O gengibre é outro ingrediente ao qual muitos recorrem depois de ficar doente. O gengibre pode ajudar a diminuir a inflamação, o que pode ajudar a reduzir a dor de garganta e outras doenças inflamatórias. O gengibre também pode ajudar a diminuir as náuseas.

6. Espinafre

O espinafre fez parte da lista não apenas por ser rico em vitamina C, ele também contém vários antioxidantes e betacaroteno, que podem aumentar a capacidade de combater infecções de nosso sistema imunológico.

Semelhante ao brócolis, o espinafre é mais saudável quando cozido o mínimo possível, para que retenha seus nutrientes. No entanto, o cozimento leve aumenta sua vitamina A e permite que outros nutrientes sejam liberados.

7. Iogurte

Procure por iogurtes com "culturas vivas e ativas" impressas no rótulo, como o iogurte grego. Essas culturas podem estimular seu sistema imunológico para ajudar a combater doenças. Tente consumir iogurtes naturais, em vez dos tipos preferidos e carregados de açúcar. Você pode adoçar o iogurte natural com frutas saudáveis ou mel.

O iogurte também pode ser uma ótima fonte de vitamina D, portanto, tente selecionar marcas enriquecidas com vitamina D. A vitamina D ajuda a regular o sistema imunológico e acredita-se que aumenta as defesas naturais do corpo contra doenças.

8. Amêndoas

Quando se trata de prevenir e combater resfriados, a vitamina E tende a ficar atrás da vitamina C. No entanto, a vitamina E é a chave para um sistema imunológico saudável. É uma vitamina lipossolúvel, o que significa que exige que a presença de gordura seja absorvida adequadamente.

Nozes e amêndoas contêm muita vitamina e também têm gorduras saudáveis. Uma porção de meia xícara, com cerca de 46 amêndoas inteiras e sem casca, fornece quase 100% da quantidade diária recomendada de vitamina E.


9. Açafrão

Essa especiaria amarga e amarelada também tem sido usada há anos como anti-inflamatório no tratamento da osteoartrite e da artrite reumatoide . Além disso, fonte confiável de pesquisa mostra que altas concentrações de curcumina, que conferem cor à cúrcuma, podem ajudar a diminuir os danos musculares induzidos pelo exercício.

10. chá verde

Os chás verde e preto são embalados com flavonoides, um tipo de antioxidante. Onde o chá verde realmente se destaca é nos seus níveis de galato de epigalocatequina, ou EGCG, outro poderoso antioxidante. Demonstrou-se que o EGCG melhora a função imunológica.

O processo de fermentação do chá preto destrói grande parte do EGCG. O chá verde, por outro lado, é cozido no vapor e não fermentado; portanto, o EGCG é preservado.

O chá verde também é uma boa fonte do aminoácido L-teanina . A L-teanina pode ajudar na produção de compostos de combate a germes em suas células T.

11. Mamão

O mamão é outra fruta carregada de vitamina C. Você pode encontrar 224% da quantidade diária recomendada de vitamina C em um único mamão. A papaia também possui uma enzima digestiva chamada papaína que tem efeitos anti-inflamatórios.

A papaia tem quantidades decentes de potássio, vitaminas do complexo B e folato, todas benéficas para a saúde geral.

12. Kiwi

Os kiwis são naturalmente cheios de uma tonelada de nutrientes essenciais, incluindo folato, potássio, vitamina K e vitamina C.

A vitamina C aumenta os glóbulos brancos para combater infecções, enquanto os outros nutrientes do kiwi mantêm o resto do corpo funcionando corretamente.

13. Carne de frango

Quando você está doente, a canja de galinha é mais do que apenas uma comida saudável com efeito placebo. Ajuda a melhorar os sintomas de um resfriado e ajuda a protegê-lo de ficar doente em primeiro lugar. Aves, como frango e peru, são ricos em vitamina B-6. Cerca de 90 gramas de carne de peru ou frango light contêm de 40 a 50% da quantidade diária recomendada de vitamina  B-6.

A vitamina B-6 é um participante importante em muitas das reações químicas que acontecem no corpo. Também é vital para a formação de novos e saudáveis glóbulos vermelhos.

O caldo ou caldo feito com ossos de galinha fervido contém gelatina, condroitina e outros nutrientes úteis para a cura e imunidade do intestino, além de restaurar as articulações.

14. sementes de girassol

As sementes de girassol estão cheias de nutrientes, incluindo fósforo, magnésio e vitamina B-6. Eles também são incrivelmente ricos em vitamina E, um poderoso antioxidante.

A vitamina E é importante na regulação e manutenção da função do sistema imunológico. Outros alimentos com altas quantidades de vitamina E incluem abacate e folhas verdes escuras.

15. Mariscos

Para muitos que tentam melhorar seu sistema imunológico, o marisco não é o que vem à mente, mas alguns tipos de marisco são cheios de zinco.

O zinco não recebe tanta atenção quanto muitas outras vitaminas e minerais, mas nosso corpo precisa dele para que nossas células imunológicas possam funcionar como pretendido.

Variedades de mariscos com alto teor de zinco incluem:

Caranguejo, mexilhão e lagosta

Lembre-se de que não deseja ter mais do que a quantidade diária recomendada de zinco em sua dieta. Para homens adultos, são 11 miligramas (mg) e para mulheres, são 8 mg. O excesso de zinco pode realmente inibir a função do sistema imunológico.

Mais maneiras de prevenir a gripe e o Coronavírus. 

Variedade é a chave para uma nutrição adequada. Comer apenas um desses alimentos não será suficiente para ajudar a combater a gripe, mesmo que você coma constantemente. Preste atenção ao tamanho das doses e à ingestão diária recomendada, para que você não consuma vitamina de mais e nem de menos.

Comer corretamente é um ótimo começo. Comece com estes princípios básicos de prevenção da gripe e outros patógenos.

Agora, enquanto o Coronavírus não passa, você precisa além de se prevenir com todas essas dicas, você precisa se preparar para voltar ao seu campo de trabalho muito mais atualizada e com um leque maior de opções de serviços para conquistar mais clientes e aumentar o seu faturamento.

Conheça os combos de cursos variados de estética com até 50% de desconto.

Acesse agora!


Se gostou, compartilhe!

Tags


You may also like

Como usar o Ácido Salicílico no combate a acne e oleosidade

É possível ter uma pele de porcelana seguindo esses passos