fevereiro 10

Se você sofre com o efeito sanfona, a resposta para isso está neste artigo.

Entenda por que é tão difícil manter-se magra pós emagrecimento. 

Vivemos em uma sociedade com medo do ganho de gordura, onde as pessoas farão qualquer coisa para eliminá-la. Em todo lugar que olhamos, vemos produtos destinados a "queimar gordura", "derreter gordura" ou "se livrar da gordura".

A gordura é útil e primordial para a nossa existência, devemos entender melhor seus mecanismos para que possamos alcançar objetivos realistas e aprender a amar nosso corpo.

Para esclarecer o que acontece com a gordura quando a consumimos, armazenamos, ganhamos, perdemos, para onde vai quando a queimamos e a verdade por trás das alegações feitas pela indústria cosmética e alimentícia de que a gordura pode ser eliminada.

Se olharmos para a pesquisa e entendermos o funcionamento interno de uma célula adiposa, podemos conhecê-la melhor e encontrar maneiras estratégicas e seguras para alcançar nossos objetivos de saúde desejados.

Antes de entender como diminuir a gordura e manter um corpo saudável, precisamos entender sobre biologia.

HISTÓRIA DA ORIGEM DE UMA CÉLULA DE GORDURA

Nossos corpos carregam dois tipos de tecido adiposo: gordura branca que leva o nome de UNILOCULAR e gordura marrom que é a MULTILOCULAR.

A gordura branca é a principal gordura em adultos, enquanto a gordura marrom é encontrada principalmente em bebês recém-nascidos. Neste artigo, vamos nos concentrar na gordura branca, uma vez que ela desempenha o maior papel no metabolismo adulto.

Nosso tecido adiposo é constituído por um monte de células adiposas, também chamadas adipócitos. Imagine adipócitos como saquinhos de plástico que contêm uma gota de gordura.

Digamos que você coma um alimento que contenha gordura, como uma deliciosa fatia de pizza. Seu corpo quebrará os componentes gordurosos da pizza e você terminará com algo chamado triglicerídeo no sangue. Os triglicerídeos são posteriormente decompostos em moléculas de glicerol e ácidos graxos que são absorvidos pelos adipócitos e se tornam aquelas sacolinhas de gotículas de gordura.

O QUE ACONTECE COM AS CÉLULAS DE GORDURA QUANDO PERDEMOS PESO?

A grande questão da pesquisa em torno das células de gordura era: as células de gordura aumentam em número se comermos mais gordura?

Por um bom período, pensamos que sabíamos a resposta para isso. Em 2008, uma equipe de pesquisadores suecos determinou que o número de células de gordura que possuímos é definido em nossa infância e adolescência. Depois disso, o número de células adiposas que temos permanece o mesmo durante a vida adulta. Eles descobriram que esse ainda era o caso de indivíduos magros e obesos.

Os pesquisadores estudaram indivíduos que ganharam peso ao longo do tempo (perto de 15 a 25%), e descobriram que havia um aumento no tamanho da célula adiposa, mas o número de células adiposas permanecia inalterado.

Outra coisa que esses pesquisadores estudaram é a vida e a morte de uma célula adiposa - também conhecida como taxa de rotatividade.

Todas as coisas devem chegar ao fim, e eles queriam descobrir quando era esse fim. Eles descobriram que a geração e liberação de uma célula adiposa eram rigidamente controladas e reguladas para manter um bom equilíbrio. Isso enfatiza ainda mais que o número de células adiposas em nosso corpo permanece inalterado (qualquer célula adiposa que morre é rapidamente substituída pela produção de uma nova célula adiposa).

Antes de nos acostumarmos com essa teoria, precisamos lembrar que a ciência muda e novas teorias emergem.

Alguns anos depois, uma equipe diferente de pesquisadores desafiou essa teoria determinando que podemos ganhar células de gordura em diferentes regiões do corpo.

O estudo sueco original mediu apenas células adiposas na região abdominal do nosso corpo. No entanto, este novo estudo analisou as partes superior e inferior do corpo que abrigam células adiposas para encontrar diferenças.

Basicamente, eles comeram demais em excesso, ganharam peso e depois avaliaram se havia uma alteração no número de células adiposas. Assim como no estudo sueco, não houve alteração no número de células adiposas na área do abdômen, apenas um aumento no tamanho das células adiposas. No entanto, o aumento da gordura corporal resultou em um aumento significativo no número de células de gordura na parte inferior do corpo.

Com um aumento de peso de 1,6 kg na gordura corporal inferior, 2,6 bilhões de novas células de gordura foram criadas em apenas 8 semanas.

O estudo descobriu que, quando as células adiposas atingem um volume crítico, quando não conseguem acumular mais gordura, novas células adiposas nascem, como se fossem bolhas de sabão dando origem a outras.

Outra lição importante deste estudo foi que a gordura corporal da parte mais baixa do corpo parece ter um efeito protetor em comparação à gordura corporal. A gordura da parte superior do corpo está associada a alguns fatores de risco perigosos, como o desenvolvimento de diabetes tipo II, doenças cardíacas e outras doenças crônicas graves devido à sua presença, e ainda causa pressão nos órgãos vitais.

Parece também que, se quisermos ganhar células de gordura, o melhor local para abrigá-las é na parte inferior do corpo, a fim de mitigar os efeitos adversos associados ao excesso de peso abdominal. Essa teoria ainda é relativamente nova e também não temos o poder de dizer a nossa gordura para onde ir, mas pode ser um ponto de partida interessante para pesquisas futuras.

A próxima pergunta é: Assim como podemos ganhar células de gordura, podemos perdê-las?

CÉLULAS DE GORDURA E PERDA DE PESO

Estudos demonstraram que a perda de peso leva a uma redução drástica no tamanho das células adiposas, mas não no número dessas células.

Infelizmente, as células adiposas não desaparecem no ar. Eles permanecem em pé, mas seu tamanho é diretamente influenciado pelo ganho ou perda de peso, ou seja, elas apenas murcham.

As más notícias não param por aí.

Perder peso é uma batalha difícil, porque seu corpo está lutando para manter esse peso por todo o caminho. Uma hipótese é que a perda de peso causa estresse celular nas células adiposas e a única maneira de aliviar o estresse é recuperando o peso para normalizar o formato das células adiposas.

Quando mudamos a estrutura celular de uma célula adiposa, nosso corpo fica um pouco fora de controle e existe esse impulso biológico para criar equilíbrio. É uma defesa natural do corpo.

Existe um poder superior que regula o peso corporal e esse poder superior é o cérebro. Nosso cérebro recebe sinais do resto do corpo em relação às reservas de energia e aos nutrientes necessários que precisamos. Nosso corpo então ajusta nosso balanço energético para atender a todas as necessidades.

Diminuir as calorias é o melhor caminho?

Uma maneira de muitas pessoas tentarem perder peso é restringir as calorias, mas isso pode sair pela culatra rapidamente e muitas vezes tem o efeito oposto.

Quando você restringe as calorias, seu corpo envia rapidamente sinais para aumentar o apetite, a fim de compensar a perda de energia. Seu corpo basicamente quer que você falhe e recaia, para recuperar o peso para restaurar a ordem. Outra coisa que acontecerá é que seu metabolismo desacelerará inevitavelmente porque seu corpo está tentando economizar o máximo de energia possível. É como colocar metade da quantidade de óleo que você costuma colocar no carro para andar.

Outra coisa que acontece quando nossas células adiposas diminuem de tamanho: nosso perfil metabólico muda.

Qual é a influência dos hormônios sobre o nosso peso?

Não vamos esquecer os hormônios. A pesquisa mostrou que os níveis de leptina e insulina em nosso corpo podem estar relacionados à quantidade de massa gorda que possuímos. Estudos descobriram que a sensibilidade à insulina pode estar relacionada ao tamanho das células de gordura.

Um estudo constatou que indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica diminuíram seu peso corporal em 33%, diminuíram o tamanho das células adiposas (não o número de células adiposas) e a perda de gordura foi correlacionada com a sensibilidade à insulina.

Foi descoberto que células de gordura menores eram capazes de usar insulina de maneira mais eficaz, consumindo mais glicose. É por isso que a perda de peso é geralmente recomendada em alguns indivíduos com diabetes para melhorar os níveis de açúcar no sangue. Eles também descobriram que células menores de gordura secretam menos leptina, um hormônio que nos diz para parar de comer. Queremos mais leptina, porque ela pode controlar nossa ingestão e nos diz quando estamos saciados, então aqui está outra maneira de nosso corpo estar torcendo contra nós e tentando fazer com que recuperemos peso.

A única maneira de realmente arrancar as células de gordura do copo é passando por uma lipoaspiração, mas sem dieta e exercícios físicos logo as células adiposas irão repor aquelas que foram perdidas.

Espero que você tenha gostado da matéria.

Para saber sobre qualquer assunto relacionado a estética e ter a minha consultoria para te ajudar na carreira venha fazer parte da Comunidade VIP Cris Marques.

Clique no botão abaixo para saber mais


Se gostou, compartilhe!

Tags


You may also like

Como usar o Ácido Salicílico no combate a acne e oleosidade

É possível ter uma pele de porcelana seguindo esses passos