Entenda os Veículos Cosmecêuticos | Esteticista Como Você

Entenda os Veículos Cosmecêuticos

Olá!

Nós sempre estamos atrás de informações a respeito da cosmetologia e esse é um mundo vasto e maravilhoso onde podemos combinar ativos para uma perfeita formulação, mas se a gente errar no veículo do produto, de nada adianta não é mesmo?

Então eu resolvi escrever este artigo para te ajudar nessa parte.

Não deixe de comentar ao final ok?

Boa leitura.

 

Veículos Cosmecêuticos: Definição

Definimos de veículos as formas farmacêuticas de diferentes estados físicos que tem como objetivo levar os ativos do produto até o local de ação. Para isso, é necessário que ocorra uma boa relação entre os princípios ativos e o veículo indicado.

Para entender melhor, o veículo deve ter uma boa sinergia com os princípios ativos para que os mesmos não sejam anulados em sua função.

O veículo não pode ser tóxico e deve apresentar um bom sensorial, ter custo acessível e muito abrangente na combinação com os princípios ativos.

A escolha do veículo numa fórmula é tão importante quanto a interação entre os ativos numa mesma formulação cosmética.

É muito ruim quando uma fórmula ou dermocosmético é utilizado e o seu veículo não apresenta muita compatibilidade com a pele, pode até deixar a pele oleosa ou promover um toque pegajoso e quando isso ocorre, geralmente o paciente acaba parando de utilizar o produto. Nesse aspecto o profissional farmacêutico tem total responsabilidade pela viscosidade e a penetração do produto na pele.

De uma forma geral, tanto médicos como profissionais de estética escolhem um veículo de acordo com o tipo de pele da paciente. Por esse motivo, é fundamental que a(o) profissional saiba classificar os diversos tipos de pele existentes.

Uma outra estratégia para levar os princípios ativos o mais profundamente na pele é usar de novos mecanismos que existem hoje para conseguir tais objetivos, são os chamados de nano cosméticos.

 

Géis

São veículos simples e compostos por duas fases: a fase líquida (representada pela água) e a fase sólida (representada pelos agentes gelificantes).

Por serem predominantemente compostos por água, os géis são os veículos mais indicados para o tratamento de pele oleosa e acneica.

Os agentes gelificantes (geralmente substâncias poliméricas) suspendem a água, modificando seu estado físico (reologia). De acordo com a quantidade de agente gelificante presente no sistema, teremos diferentes tipos de reologias.

Dependendo do tipo de agente gelificante e porcentagem utilizada, a formulação final poderá apresentar sensorial “pegajoso” e esta é uma queixa muito comum dos profissionais e clientes.

É importante destacar que esse problema não acontece apenas em razão dos polímeros utilizados e de sua concentração, mas também a alguns princípios ativos na sua formulação.

Os géis mais fluídos (menor % de agentes gelificantes), apresentam maior velocidade de espalhamento, isso faz com que ocorra maior facilidade na aplicação da fórmula na pele.

Para solucionar o problema de pegajosidade dos géis, como em qualquer outro tipo de formulação, utilizamos modificadores de sensorial, são substâncias estrategicamente desenvolvidas para aperfeiçoar o sensorial final da formulação.

 

É importante ressaltar que a característica cristalina de um gel depende muito dos princípios ativos nele adicionados.

Agentes gelificantes mais utilizados em Manipulação

 

AMIGEL

É um polissacarídeo natural, biodegradável e obtido por biotecnologia a partir de culturas de Sclerotium rolfsii.

Trata-se de um polímero não iônico e de elevada compatibilidade dérmica e é estável em uma faixa de PH bastante ampla, desde formulações ácidas como peelings até formulações extremamente alcalinas, como tinturas para coloração capilar.

 

ARISTOFLEX

É um polímero aniônico de elevada estabilidade. Permite formular géis cristalinos e incolores e sensorial Hydrafresh – sensorial de gel refrescante que derrete na pele durante o espalhamento.

 

PLURIGEL

É um carbomero, um dos polímeros mais utilizados pala indústria cosmética no preparo de géis e gel creme, pelo baixo custo que apresenta.

Em razão da faixa de PH ser predominantemente neutra, (acima de 5,0), é impossível estabilizar ácidos e eletrólitos nesse veículo.

Os géis de carbomero, por sua elevada cristalinidade e baixo custo, são bastante utilizados em formulações hidratantes e preparações capilares.

 

NATROSOL

Assim como o carbomero, o natrosol é um polímero amplamente utilizado para formulações devido ao seu baixo custo e elevada estabilidade.

Os géis de Natrosol são transparentes, porém levemente amarelados.

 

ULTRAGEL 300

Possui estabilidade e substantividade aos cabelos e à pele.

Ultragel 300 é um polímero acrílico catiônico, ou seja, possui carga positiva.

Uma das principais características desse agente gelificante, além da transparência e agradável sensorial, é a estabilidade. Seu PH se estende de 2,0 a 12,0 permitindo a associação de princípios ativos ácidos ou alcalinos.

 

EMULSÕES

Definimos emulsões como veículos que apresentam em sua composição uma fase oleosa e outra fase aquosa, estabilizadas pela presença de um agente emulsionante.

As emulsões por conterem gordura em sua composição, são especialmente indicadas para o desenvolvimento de formulações para peles secas, podendo ainda ser indicadas para o tratamento corporal.

 

GEL CREME

É um dos veículos cosmecêuticos mais empregados em países tropicais como o Brasil, por esse motivo existe tanta diversidade de pele.

O veículo do tipo gel creme une as vantagens proporcionadas pelos géis (sensorial refrescante e pela emoliência e maciez) e excluindo suas desvantagens (pegajosidade e untuosidade).

Este veículo é ideal para o tratamento de peles mistas.

 

MUSSES

Uma categoria pouco explorada para manipulação é o veículo mousse. Constituída por tensoativos específicos (biocompatíveis), é possível manipular com esse tipo de veículo formulações destinadas para higiene e limpeza, bem como produtos de permanência na pele como hidratantes e produtos anti-aging.

 

Segue abaixo algumas tabelas para que você possa escolher ou se informar a respeito do melhor veículo para a sua formulação dermocosmética:

 

Indicação: Peles oleosas, mistas e ideal para uso no microagulhamento

VEÍCULO TIPO REOLOGIA PH DE ESTABILIDADE PROPRIEDADES
GÉIS Amigel Séruns, fluídos e géis 2,0 – 12,0 Elevada estabilidade e sensorial sofisticado (maciez)
Aristoflex géis 1,5 – 9,0 Elevada estabilidade e sensorial Hydrafresh
Natrosol Séruns, fluídos e géis 2,0 – 10,0 Elevada estabilidade e baixo custo
Plurigel Séruns, fluídos e géis 5,0 – 10,0 Transparência e baixo custo
Ultragel 300 Séruns, fluídos e géis 2,0 – 12,0 Transparência e baixo custo

 

 

Indicação: Ideal para peles secas ou tratamentos corporais

VEÍCULO TIPO REOLOGIA PH DE ESTABILIDADE PROPRIEDADES
EMULSÕES Polybase cristal Leites, loções cremosas e cremes 5,0 – 7,0 Emulsão formadora de cristais líquidos e biocompatibilidade cutânea
Hostacerin CG Leites, loções cremosas e cremes 2,0 – 9,0 Elevada estabilidade e otimização na penetração de ativos
Lanette N Leite, loções cremosas e cremes 2,0 – 10,0 Baixo custo e elevada estabilidade aniônica
Paramul J Leites, loções cremosas e cremes 5,0 – 7,0 Emulsão não iônica com sensorial não oleoso
Polawax Leites, loções cremosas e cremes 3,0 – 10,0 Emulsões brilhantes, não iônicas e de baixo e de baixo custo
Uniox Cristal Leites, loções cremosas e cremes 3,0 – 10,0 Emulsão formadora de cristais líquidos vegetal

 

Indicação: Peles mistas

Veículo Aristoflex AVL Gel creme consistente 1,5 – 9,0 Elevada estabilidade, não comedogênico, desaparece na pele, sensorial hydrafresh
GEL CREME Hostacerin SAF Gel creme consistente 1,5 – 9,0 Elevada estabilidade, hidratante e sensorial hydrafresh
LC Silicone Blend Creme gel consistente 5,5 – 7,0 Veículo siliconado de suave espalhabilidade e sensorial de pele aveludada
Nikkolipod 815 Depende da reologia do gel empregado Depende do gel empregado Emulsão formadora de cristal líquido com propriedades anti-inflamatórias
Nikkomulese 41 Depende da reologia do gel empregado Depende do gel empregado Formação de um filme hidrofóbico sobre a pele, ideal para o desenvolvimento de FPS
Sepigel 305 Gel creme consistente 2,0 – 12,0 Boa estabilidade com extremos de PH

Indicação: Para aplicação oil free

PSEUDO

EMULSÕES

NET FS Aditivo – associado a géis, fluídos e séruns para o preparo de veículos oil free Depende do gel associado Microemulsão de silicone, favorece a formação de filme hidratante sobre a pele. A adição deste produto aos géis (diferentes reologias) permite o desenvolvimento de veículos oil free
Emulzome Aditivo – associado a géis, fluídos e séruns para o proparo de veículos emulsifier free Depende do gel associado A adição desse produto aos géis (diferentes reologias) permite o desenvolvimento de gel creme do tipo veículo emulsifier free.
Nanogel Plus Gel creme consistente 5,0 – 7,0 Veículo nanotecnológico, aumenta a penetração de princípios ativos na pele e é isento de emulsionantes

 

Agora que você conheceu a respeito dos diversos veículos para produzir as suas fórmulas, que tal participar de um curso onde além de ter acesso a diversas fórmulas dermocosméticas, você ainda pode adquirir segurança e dominar mais de 15 tipos diferentes de ácidos utilizados nas sessões de Peelings Químicos?

Aproveite que as matrículas estão abertas por tempo limitado!

Venha conhecer o Curso Online de Peelings Químicos com mais de 60 aulas gravadas teóricas e práticas e 3 tratamentos completos com fotos do antes e depois:

  1. Melasma
  2. Olheiras
  3. Rejuvenescimento

Acesse o link e realize a sua matrícula!

MAIS INFORMAÇÕES