O impacto da Glicação no Processo de Envelhecimento

Glicação é um termo que têm sido muito utilizado na área da estética, nesse artigo vamos entender o que é glicação e quais são os malefícios que este processo traz para a nossa pele.

Boa leitura e espero que esse artigo seja útil e a opinião de vocês ao final do artigo é muito importante!

 

Definição

A glicação é um termo que está ganhando mais impulso no consumo e varejo de produtos cosméticos e está sendo muito abordado também em revistas de saúde e beleza. Embora a maioria dos profissionais que trabalham com os cuidados da pele já saibam o que isto significa, é sempre uma vantagem profissional saber o que os clientes estão lendo a fim de reduzir a chance de ser pega de surpresa.

 

O Processo da Glicação

Já se sabe que o excesso de açúcar pode levar a uma variedade de problemas de saúde, mas o que mais se esquecem é que muito açúcar também pode afetar a pele.

O açúcar pode ser digerido em muitas formas, incluindo o consumo de carboidratos e pode ainda ser formado através da preparação de refeições, moderar na quantidade de açúcar que ingerimos não é uma medida tomada apenas para equilibrar o peso.

O açúcar em excesso abre portas para doenças graves e agiliza o envelhecimento da pele, essa ação negativa que a glicose promove no organismo é chamada de glicação.

A glicação é uma reação na qual carboidratos, como a glicose, ou lipídeos ligam-se permanentemente a proteínas, sem a atuação de uma enzima, quando o corpo não produz insulina suficiente para processar o excesso de açúcar.

Desse modo, essas proteínas sofrem modificações e impedem que as células desempenhem seus papéis.

Essa mutação leva à formação de AGEs (Advanced Glycation End products) ou produtos finais da glicação avançada, substâncias responsáveis pela aceleração do envelhecimento.

 

foto-2

image1

Uma vez que os AGEs são formados, tendem a consumir o colágeno e a elastina da pele causando flacidez e envelhecimento.

Quanto mais açúcar as pessoas consomem, sendo açúcares transformados ou naturais, mais os AGEs são produzidos.

A formação de AGEs, substâncias responsáveis pela aceleração do envelhecimento também são encontrados em alimentos ricos em gordura saturada e gordura trans que favorecem a reação de glicação.

foto-3

 

As carnes defumadas e assadas em alta temperatura, bolos e tortas já possuem AGEs em sua composição, pela adição de conservantes, corantes químicos e realçadores de sabor, completa.

Os efeitos da glicação no processo de nível celular pode comprometer a estrutura da pele, resultando em rugas, perda de elasticidade, rigidez, envelhecimento acelerado e ainda comprometendo a função da barreira de proteção da pele.

Outra condição que aparece com o processo de glicação da pele é uma perda de volume no rosto devido à redistribuição de gordura ocasionando papada e deformação do contorno facial.

Embora o desenvolvimento de linhas e rugas seja normal com o avanço da idade, é difícil ver os clientes em seus 20 anos se assemelhar a uma pessoa nos seus 40 anos, mas hoje em dia está ocorrendo com certa frequência.

O processo de glicação têm sido ligado a vários problemas de saúde diferentes. As condições oxidativas que surgem a partir da formação da glicação pode levar a Alzheimer, doenças cardiovasculares e renais.

Outro sintoma decorrente do excesso de açúcar e processo de glicação, além do aparecimento de rugas e flacidez, é a capacidade reduzida de regeneração celular.

É uma pele que não responde rapidamente aos tratamentos estéticos.

A glicação, na verdade, ocorre em todo ser humano, afinal de contas, nossa glicemia não pode ser zero. Ela só é maléfica quando ocorre em excesso, ou quando a pessoa não produz insulina suficiente para manter equilibrada sua taxa de glicemia, as pessoas diabéticas são fortemente prejudicadas neste caso.

 

Quais medidas podem ser tomadas no combate aos efeitos da glicação?

image4

 

É importante que a profissional recomende a cliente uma boa alimentação com diminuição no consumo de açúcar, assim como também diminuição no consumo de frituras, gorduras e álcool.

 

Existem hoje alguns suplementos que auxiliam no combate à glicação mas devem ser consumidos conforme orientação médica, são eles:

  • Carnosina, carnitina, pyridoxamine (um derivado da vitamina B-6), tiamina (vitamina B-1), alfa ácido lipóico e benfotiamina. Estes suplementos de uso oral estão se tornando mais comum também para uso externo no combate à  glicação em produtos de cuidados da pele.

 

  • Outros ingredientes interessantes para o uso contra a glicação incluem Paeonia albiflora extracto (flor peônia), julibrissin Albizia extracto (árvore de seda persa), niacinamida, mirtilos e romã.

Ao lidar com as condições da pele glicada, é essencial lembrar que a pele precisa de produtos que contêm vitaminas e nutrientes que irão hidratar e devolver o viço e melhorar o contorno facial.

Alguns ingredientes que ajudam a hidratar a pele incluem ácido hialurônico, vitamina E,  óleo de mirtilo,  óleo de jojoba,  aloe vera,  mel, dentre outros.

A vitamina C é muito bem vinda para a renovação celular e para o rejuvenescimento.

Os tratamentos estéticos, dieta balanceada, ingestão de 2 litros de água por dia, exercícios físicos e cuidados com produtos home care são essenciais para alcançar bons resultados na melhora da pele.

 

 

Chegamos ao final desse artigo, espero que esse conteúdo tenha sido útil de alguma forma para você!

Os tratamentos estéticos que utilizam PEELINGS QUÍMICOS OU MICROAGULHAMENTO estimulam a produção de colágeno e a renovação da pele, portanto são bastante eficientes para evitar o processo de glicação. Para você, profissional da estética, saúde ou beleza, é muito importante que você tenha pleno domínio sobre essas técnicas.

Caso você queira saber mais sobre esses tratamentos, conheça os nossos cursos de PEELINGS QUÍMICOS OU MICROAGULHAMENTO acessando os links abaixo:

 

Microagulhamento sem Mistérios

Microagulhamento: Para informações clique aqui

Capa Curso

Peelings Químicos: Para informações clique aqui